News

5G não é só celular: confira outros gadgets que ele vai revolucionar

todayagosto 22, 2022 1

Background
share close

O 5G chega hoje (22) a mais quatro capitais brasileiras: Vitória, Palmas, Rio de Janeiro e Florianópolis. No total, já são 12 cidades com a nova geração de transmissão de dados, que pode ser até 20 vezes mais rápida que a do 4G.

Mas essa revolução não está restrita apenas ao celular. Com o tempo, ela irá impactar diversos tipos de equipamentos, que poderão funcionar com mais rapidez e, principalmente, com menor latência — o tempo entre o acionamento de um comando, sua transmissão pela rede e execução do resultado.

Confira alguns deles:

Carros autônomos

A baixa latência é essencial na execução de tarefas onde um microssegundo pode fazer a diferença. No caso dos carros “sem motorista”, essa fração de tempo pode evitar uma colisão, por exemplo.

Além disso, o 5G é mais estável mesmo com múltiplos usuários acessando a rede em uma mesma área — o que será essencial quando houver uma grande quantidade de carros autônomos circulando pelas cidades mais populosas.

Os carros poderão se conectar de forma mais eficiente com seus sistemas e identificar outros veículos e pessoas. A troca de informação entre todos eles (como velocidade e destino final) permitirá um controle mais preciso do fluxo de transporte, otimizando tempo e combustível.

Cruise, carro autônomo - Divulgação/GM Cruise - Divulgação/GM Cruise

Cruise, modelo de carro autônomo

Imagem: Divulgação/GM Cruise

Óculos de realidade virtual ou aumentada

Quando um usuário de óculos de RV vira a cabeça, é preciso que o programa simule o movimento no ambiente digital sem atrasos ou distorções, para manter a ilusão da imersão. Para isso, novamente, é preciso um grande fluxo de dados e baixa latência — em um nível de qualidade que o 4G não dava conta.

Nos óculos de realidade aumentada, em que informações digitais são adicionadas sobre o que você está enxergando, o 5G desempenha um papel ainda mais importante. Diferentemente dos óculs de RV, os de RA serão usados com mais frequência fora de casa, onde ele pode, por exemplo, indicar o caminho até o seu escritório ou uma loja. Só o 5G consegue permitir essa quantidade de dados e sua aplicação sem interrupções na interface de gadgets assim.

Em jogos de RA, como Pokémon Go, isso poderá ser notado em resoluções ainda melhor, deixando os elementos digitais mais nítidos, mais integrados com a realidade “real” e mais responsivo às interações com o jogador.

Quem já usou a tecnologia percebe que, se a internet não é boa, as imagens não carregam direito e, assim, quebram imediatamente a sensação de imersão. Com o 5G, esse perrengue não vai mais existir.

Videogames

Free Fire: Nevado - Reprodução/Daniel Esdras - Reprodução/Daniel Esdras

eSports, como Free Fire, ficarão mais ágeis e equilibrados

Imagem: Reprodução/Daniel Esdras

Nos celular, o 5G puro já fará uma grande diferença para quem curte games online em tempo real, como os de tiro. A baixa latência tornará tudo mais ágil e “automático”: quando você apertar o botão de atirar, o tempo que o personagem levará para sacar a arma e disparar será praticamente imperceptível.

Isso é uma boa notícia especialmente nos eSports, o cenário competitivo de jogos eletrônicos, onde muitos torneios podem acontecer de maneira remota, com adversários em estados diferentes (como ocorreu duante a pandemia de covid-19). Equipes em regiões com pior qualidade de sinal saíam em desvantagem, que muitas vezes custavam a vitória.

Modem de wi-fi

É possível que, em um futuro próximo, você possa aposentar equipamentos que levam internet à sua casa por cabos de fibra ótica.

Uma das aplicações do 5G é o FWA, sigla em inglês para “acesso fixo sem fio”. Ele utiliza ondas de rádio para criar uma conexão entre uma torre de celular e uma antena externa, que pode estar em uma residência ou empresa. A antena repassa esse sinal para um tipo especial de modem, que converte ondas de rádio em sinais wi-fi.

É como se o 5G, tradicoinalmente associado à internet móvel, passasse a fornecer também o serviço de banda larga “fixa” na sua residência ou empresa. Uma das vantagns é que um único aparelho de FWA pode retransmitir o sinal para todos os apartamentos de um prédio, por exemplo.

Telemedicina

Hoje, a forma de telemedicina mais conhecida pelas pessoas são os atendimentos à distância: uma consulta realizada através uma chamada de vídeo. Mas a velocidade e a baixa latência do 5G permitirão que até mesmo cirurgias remotas se tornem mais comuns — e mais seguras.

Recentemente, a empresa Ericsson, em parceria com a startup NeuroDigital Technologies e com médicos da King’s College de Londres, testaram como seria um cirurgião usando óculos de VR e luvas especiais, controlando um braço robótico à distância, para operar em um paciente. O 5G permitiu que o médico visse (e reagisse) em tempo real ao que acontecia na sala de cirurgia.

Luzes, transporte e outros recursos de smart city

Cidade inteligente - Getty Image - Getty Image

Cidade inteligente: um grande salto à frente

Imagem: Getty Image

O conceito de uma cidade “inteligente”, onde diversos pontos de infraestrutura estão conectados online e repassando informações, já existe há algum tempo. Mas um dos principais obstáculos para conseguir implementá-la em larga escala era a velocidade no fluxo de informação e a enorme quantidade de emissores e receptores numa mesma região, que poderia afetar o ritmo e a qualidade da transmissão.

Mas agora, um estudo realizado pela consultoria Accenture em cidade americanas estima que o uso do 5G para controlar o trânsito e a iluminação poderá gerar economias de até US$ 160 bilhões, tanto em energia quanto em combustível. E esta é só apenas uma das aplicações possíveis para melhorar o urbanismo.

Eletrodomésticos para casas inteligentes

Numa escala menor, a lógica é a mesma das smart cities: o 5G permitirá a expansão da chamada “internet das coisas” (ou IoT, na sigla em inglês), facilitando a conexão de múltiplos produtos sem sobrecarregar a rede.

Pode parecer ficção científica, mas no futuro, sua geladeira e microondas poderão “conversar” de modo a melhor aproveitar os ingredientes que você tem em casa para uma nova receita. O ar condicionado e as persianas automáticas vão trabalhar em sincronia para calcular a entrada de sol e a redução (ou elevação) da temperatura interna, economizando energia elétrica. A máquina de lavar poderá automatizar, via assistente de voz, a compra de mais sabão em pó ou amaciante.

E esse futuro não é tão distante assim. Uma pesquisa de 2021 das consultorias Tech UK e GFK estima que, até 2025, o mercado de smart houses deve alcançar um valor US$ 182 bilhões.

Written by: admin

Rate it

Previous post

Como uma smartband ajudou a provar que homem matou a esposa nos EUA

News

Como uma smartband ajudou a provar que homem matou a esposa nos EUA

Uma pulseira inteligente Fitbit ajudou a desvendar um antigo caso de assassinato de uma mulher nos Estados Unidos. A polícia utilizou os dados do rastreador de exercícios físicos da vítima e descobriu que ela estava se movimentando após o horário relatado de sua morte, contradizendo os depoimentos de seu marido. Com as novas informações, Richard Dabate foi condenado a 65 anos de prisão, por matar sua esposa a tiros.O método […]

todayagosto 22, 2022 3


0%