News

65% dos brasileiros que tiveram Covid lidam com sequelas; diz estudo | NSC Total

todayagosto 20, 2022

Background
share close

Perda de ofato ou paladar é descrito por pelo menos 30% das pessoas que já positivaram para a Covid-19 no Brasil. Um estudo mostrou que 65% dos brasileiros tem ao menos uma sequela causada pela doença. As informações são da Folha De S.Paulo

Receba notícias do DC via Telegram

Mesmo com a baixa nos índices de mortes, internações e contaminações por Covid, a estatística mostra que os efeitos da pandemia devem perdurar por um longo período de tempo e afetar o sistema de saúde brasileiro. 

— A saúde pública vai estar sobrecarregada com isso — resume Lígia Kerr, epidemiologista, vice-presidente da Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva) e professora da UFC (Universidade Federal do Ceará).

O levantamento foi feito pelo Inquérito Telefônico de Fatores de Risco para Doenças Crônicas não Transmissíveis em Tempos de Pandemia (Covitel). O estudo foi realizado por ligação telefônica em todas as regiões do Brasil no primeiro trimestre de 2022. Foram entrevistados cerca de 9.000 participantes.

A pesquisa foi realizada pela organização de saúde Vital Strategies e pela Ufpel (Universidade Federal de Pelotas). O inquérito também é fruto de parceria com outras entidades, como a Abrasco.

Durante a entrevista, cada participante poderia indicar mais de uma complicação que surgiu após a infecção pelo Sars-CoV-2 – vírus que causa a doença.

As sequelas também são conhecidas como Covid longa, e são fruto de pesquisa pela comunidade médica e científica. Ainda restam dúvidas sobre como o vírus causas essas condições e por quanto tempo elas duram. 

Para Luciana Sardinha, assessora técnica em epidemiologia e saúde pública da Vital Strategies e uma das pesquisadoras que lideraram o Covitel, o dado final de 65% pacientes com sequelas foi uma surpresa. 

— Como é algo novo, nós não sabemos o que é para sempre e o que não é — ponderou. 

As dúvidas preocupam Luciana em função das implicações para o sistema de saúde. Segundo ela, os atendimentos já são sobrecarregados em razão da paralisação de procedimentos no pico da pandemia, e agora lidam com outros problemas de saúde, causados pela Covid.

— Percebemos que é muito grave [o índice de sequelas no Brasil] e isso precisa ser olhado agora que as coisas estão normalizando em relação a Covid — diz.

Lígia Kerr, da Abrasco, pontua que é importante conscientizar a população. Segundo ela, embora haja a vacina, ainda é necessário tomar medidas preventivas contra o Sars-CoV-2 e as sequelas causadas pelo vírus. 

De acordo com Kerr, estudos já observaram como a reinfecção pelo vírus ocasiona maiores chances para o surgimento de Covid longa. 

— É como se ocorresse um acúmulo [de riscos para sequelas] — explica.

Ela recomenda a adoção de cuidados, como uso de máscara e higienização das mãos. Isso porquê as vacinas atuais não têm alta capacidade de barrar a infecção pelas variantes mais recentes do patógeno.

Condições crônicas podem ser agravadas pela Covid

Portadores de doenças crônicas, como a diabetes, podem piorar as condições clínicas após a Covid-19, alerta a epidemiologista.

— Não é só o aparecimento [de novas complicações], mas o agravamento de condições pregressas — diz Kerr. 

Ela explica que doenças crônicas que podem ser pioradas pelo coronavírus representam problemas de gastos ao SUS.

— As doenças crônicas têm um componente de custo alto — afirma.

Written by: admin

Rate it

Previous post

Tite abre o jogo sobre a expectativa para a Copa do Mundo

News

Tite abre o jogo sobre a expectativa para a Copa do Mundo

Nesta semana, Rodrigo Faraco entrevistou com exclusividade o técnico Tite, da Seleção Brasileira, para falar sobre a expectativa e ansiedade para a Copa do Mundo do Catar. O comandante da amarelinha não antecipa convocação, mas cita que ainda há espaços na lista final, que será revelada em setembro para os dois últimos amistosos antes da

todayagosto 20, 2022 4


0%