Ansiedade canina: saiba quais são os sintomas e as causas

Sim, cães também sofrem de ansiedade que geralmente está ligada, no caso deles, a traumas do passado e medos desenvolvidos ao longo da vida.

Nos últimos anos, pautas sobre saúde mental têm entrado cada vez mais em foco. Temas como ansiedade, depressão e bipolaridade, por exemplo, tornaram-se debates comuns, sempre buscando ajudar quem passa por eles. Mas você sabia que cachorros também podem sofrer de ansiedade?

Não é brincadeira. Nossos amigos de quatro patas também estão suscetíveis a esta doença, geralmente ligada, no caso deles, a traumas do passado e medos desenvolvidos ao longo da vida. “O vínculo emocional com o tutor também pode ser um dos causadores da chamada ansiedade de separação – que se apresenta quando o pet está na ausência do seu humano, gerando quase uma dependência entre eles. Para evitá-la, é preciso incentivar o bichinho a fazer atividades sozinho e mostrar que nem sempre será possível estar por perto”, orienta Daniel Cooper, médico-veterinário do My Pet.

Outros quadros de ansiedade também podem se manifestar. É o caso dos pets que ficam ansiosos apenas à noite, não conseguindo dormir, e dos ansiosos para comer, que devoram a ração rapidamente, sempre esperando por mais. Independente de qual seja o quadro do cão, o importante é estar atento a possíveis variações de humor e comportamento, para que o distúrbio possa ser tratado adequadamente.

Segundo Daniel, existem muitos sintomas para detectar cachorros ansiosos, mas alguns comportamentos podem ser facilmente notados. “Latidos, uivos e lambidas excessivos, destruição do ambiente, falta de sono, necessidade de marcar território, queda de pelos e, até mesmo, automutilação são alguns deles. O tratamento, no entanto, varia de caso a caso”, alerta o veterinário.

Hábitos que ajudam a amenizar

Algumas mudanças de hábito do tutor com o cachorro podem amenizar o quadro. No caso da ansiedade de separação, por exemplo, criar um reforço positivo ao sair de casa, ou seja, mostrar que não estar presente não é uma punição, e sim parte da rotina, pode fazer a diferença. Passeios e brincadeiras regulares também podem ajudar, bem como a criação de um espaço divertido, que entretenha o cão. Em casos mais graves, o médico veterinário pode ainda recomendar o uso de medicamentos, como calmantes.

Vale ressaltar que é uma condição que merece uma atenção profissional. Tanto para diagnosticar um quadro de ansiedade, quanto para tratá-lo, procure um médico veterinário. No caso de cachorros ansiosos, levá-los ao consultório pode ser um transtorno. Para isso, o cuidado veterinário domiciliar faz diferença para o bom andamento do tratamento.

maio 13, 2022

Written by:

X