News

Bolsonaro chama JN de inquisição e ironiza urnas eletrônicas

todayagosto 23, 2022 4

Background
share close

Candidato à reeleição, disse a empresários do setor siderúrgico que estar na Presidência é “um saco”


Reprodução – 23.ago.2022

O presidente Bolsonaro em palestra a empresários em São Paulo (SP); criticou o Jornal Nacional



23.ago.2022 (terça-feira) – 12h25


O presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL) disse a empresários que a entrevista ao jornal da Rede Globo na 2ª feira (22.ago.2022) foi uma “inquisição”. Ele reforçou nesta 3ª feira (23.ago) a defesa de leis mais frouxas para multas ambientais.

Não pode abusar da fiscalização. O homem do campo não pode temer o fiscal. É como disse ontem”, disse Bolsonaro no Congresso Aço Brasil 2022 em São Paulo (SP) referindo-se à sabatina. O evento reúne empresários do setor siderúrgico.

No evento, o chefe do Executivo ironizou a defesa das urnas eletrônicas. Aos empresários, disse: “Só tem uma coisa infraudável no Brasil. O pessoal sabe qual é

Bolsonaro declarou, irritado, não desfrutar da cadeira presidencial. Não tenho prazer de estar naquela cadeira. É um saco. Não posso pescar nem contar piadas, mas entendo isso como uma missão”.

Sabatina

O presidenciável estreou na bancada do JN nesta eleição. Falou por 24min37s dos 40 minutos na entrevista. O restante do tempo (15min23s) foi ocupado pelas perguntas dos apresentadores William Bonner e Renata Vasconcellos. Leia a transcrição da entrevista.

Na sabatina, Bolsonaro concentrou-se em rebater críticas e não apresentou propostas para um eventual 2º mandato. Em suas contas nas redes sociais, Bolsonaro ironizou o apresentador do JN por gastar muito tempo para fazer perguntas.

O presidente disse ter participado de um “pronunciamento”. E completou: “Na medida do possível, com muita humildade, pudemos esclarecer e levar algumas informações que raramente são noticiadas em sua emissora”.

O telejornal de maior audiência do país começou a receber nesta 2ª feira os principais candidatos ao Palácio do Planalto. Bolsonaro foi o 1º. O candidato do PL disse que continuará adotando as mesmas condutas na economia em eventual 2º mandato e declarou concordar com a tentativa de mudar a imagem do Brasil no exterior sobre o meio ambiente.

“Pretendemos continuar exatamente o que fazemos”, disse Bolsonaro ao ser perguntado sobre suas propostas para a Economia a partir de 2023, se reeleito.

Os principais assuntos tratados pelos mediadores do JN foram: processo eleitoral e um possível golpe de Estado; apoio de seguidores a medidas inconstitucionais; pandemia e condutas do presidente; economia; meio ambiente; ligação com o chamado Centrão, grupo de siglas sem coloração ideológica definida; constantes trocas no MEC (Ministério da Educação); corrupção no MEC; e interferência na Polícia Federal.

A Globo publicou a conversa com Jair Bolsonaro na íntegra no site do JN: aqui.

Sequência de entrevistas

Bolsonaro deu início à série de entrevistas com candidatos à Presidência da República no Jornal Nacional, da TV Globo, realizadas ao longo desta semana.

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) terão a mesma média de tempo para expor suas ideias e responder às perguntas de William Bonner e Renata Vasconcellos. Os 40 minutos estipulados podem sofrer variações mínimas.

Essa é talvez a maior exposição que cada candidato terá no horário nobre durante toda a campanha. Eis a relação das datas das entrevistas:

Em 2014, o Jornal Nacional entrevistou a então presidente Dilma Rousseff (PT) no Palácio da Alvorada. A emissora disse que “depois das eleições de 2014, porém, decidiu que sempre realizaria as entrevistas de todos os candidatos à Presidência da República em seus estúdios, de forma a demonstrar que todos os candidatos são tratados em igualdade de condições”.


Reprodução/TV Globo

Da esquerda para a direita, os jornalistas William Bonner e Patrícia Poeta e a ex-presidente Dilma Rousseff, durante entrevista do Jornal Nacional com candidatos à Presidência em 2014

Até 2014, todos os presidentes que concorriam à reeleição podiam fazer as entrevistas do Jornal Nacional no Alvorada.

Em 2018, Michel Temer (então presidente) não concorreu a mais 1 mandato.

Em 2022, o Grupo Globo decidiu exigir que todos os candidatos fossem aos estúdios da emissora, no Rio. Bolsonaro resistiu, mas acabou aceitando.

Maior audiência do ano

A edição do JN desta 2ª feira marcou a maior audiência do ano com a entrevista concedida pelo presidente. Dados prévios mostram que a sabatina marcou 32,3 pontos na Grande São Paulo. Cada ponto representa 74.666 domicílios e 205.755 indivíduos.

Até o momento, a maior audiência do telejornal em 2022 havia sido marcada em 3 de agosto, quando o noticiário alcançou 27,8 pontos de média. Os números consolidados da edição desta 2ª feira deverão ser divulgados na 3ª feira (23.ago).

Segundo dados preliminares da Rede Globo, o Painel Nacional de Televisão atingiu 32,52 pontos de audiência com a entrevista. O painel reúne dados dos 15 principais centros urbanos do país.

Leia também os dados das principais praças para o JN:

  • Belém (36,47 pontos);
  • Rio de Janeiro (35,14 pontos);
  • Distrito Federal (35 pontos);
  • Recife (34,85 pontos);
  • Salvador (34,28 pontos);
  • Curitiba (33,62 pontos);
  • São Paulo (32,32 pontos);
  • Belo Horizonte (32,08 pontos);
  • Goiânia (30,99 pontos).

Written by: admin

Rate it

Previous post

Filhos de Bolsonaro criticam busca da PF: “Ataque à democracia”

News

Filhos de Bolsonaro criticam busca da PF: “Ataque à democracia”

Eduardo e Flavio criticaram a operação no Twitter; PF cumpriu mandado contra 8 empresários que falaram sobre “golpe” Sérgio Lima/Poder360 - 22.out.2019 Flávio Bolsonaro disse ser "insano determinar busca e apreensão sobre empresários honestos" Poder360 23.ago.2022 (terça-feira) - 12h10 O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) e o senador Flavio Bolsonaro (PL-RJ) se manifestaram sobre a

todayagosto 23, 2022 1


0%