News

Eleição em SC escancara desinteresse do eleitor pelo político tradicional | Evandro de Assis

todayoutubro 4, 2022 1

Background
share close

À parte as análises sobre vencedores e perdedores, surpresas e confirmações e as projeções para o segundo turno, as Eleições 2022 em Santa Catarina trazem uma constatação dura: o eleitor desinteressou-se pelo político tradicional. Os campeões de votos para o Legislativo destacam-se pela estridência na defesa de pautas com abrangência nacional, e não pela atração de verbas a uma região ou por dialogar com adversários para aglutinar apoios.

> Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp.

Partidos que dominaram o cenário político catarinense desde a redemocratização submergiram. MDB e PP estão fora do segundo turno, assim como União Brasil e PSD. Nem em 2018 isso havia acontecido. O PSDB elegeu só dois deputados estaduais e nenhum federal.

> Confira os resultados das Eleições 2022 em ferramenta exclusiva​​

Líderes recordistas em emendas parlamentares, como Darci de Mattos (PSD), e nomes com trânsito em Brasília, como a família Amin (PP), ficaram pelo caminho. Políticos que conversam diuturnamente com o eleitorado pelas redes sociais, sempre em posição de combate contra um inimigo a ser derrotado, colhem reconhecimento das urnas.

A velha conta de quantos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores estão distribuídos pelos 295 municípios fazendo campanha para cada candidato deixou de ser indicativo consistente para projetar resultados. A política brasileira verticalizou-se. O voto é de cima para baixo. Ou de Brasília para a seção eleitoral.

O fenômeno foi avassalador em 2018 e neste ano confirma que veio para ficar. Carlos Moisés (Republicanos), eleito pela onda Bolsonaro, cometeu o pecado de não ser bolsonarista o suficiente. Foi taxado como traidor por não abraçar 100% as pautas do presidente e por acreditar que a onda não quebraria novamente. Quebrou forte.

> Acesse o Guia das Eleições 2022 do NSC Total

A campanha de Moisés fiou-se no modelo anterior: fez coligação com a capilaridade do MDB e reuniu o apoio de prefeitos, vereadores e deputados, mas que falharam em transferir o prestígio político ao governador — ou não se esforçaram para isso. Jorginho Mello (PL) concorreu em chapa pura, sem contar com estrutura nos municípios, e é o favorito a assumir o governo em 2023. A diferença é Jair Bolsonaro.

Mas a onda bolsonarista de 2022 veio acompanhada da ascensão do PT, que chega ao segundo turno pela primeira vez e elegendo dois deputados federais, mais quatro estaduais. Até o petismo como líder da oposição foi transplantado do cenário nacional para o catarinense.

PL e PT serão os polos da política de Santa Catarina nos próximos quatro anos. Quem reclamava de polarização fazia jogo de cena. O eleitor gostou e quer mais.

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp. Basta clicar aqui.

Leia também

Eleitor de Blumenau ressuscita lideranças e ignora influência de Mário Hildebrandt

Décio Lima chega a 2º turno histórico, mas precisa repetir façanha de 1996 em Blumenau

Preterida pelo governo federal, BR-470 pode condenar Alto Vale ao atraso

Blumenau vira uma ilha de negligência na vacinação contra a poliomielite

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Written by: admin

Rate it

Previous post

Quem é Jorge Seif, senador eleito por SC nas Eleições 2022 | NSC Total

News

Quem é Jorge Seif, senador eleito por SC nas Eleições 2022 | NSC Total

Jorge Seif (PL) foi o candidato eleito para a vaga do Senado por Santa Catarina. Ex-secretário Nacional de Aquicultura e Pesca. Ele recebeu havia recebido 39,79% dos votos neste domingo (2). Ele entra na vaga de Dário Berger (PSB) que disputou a reeleição. ​Receba notícias do DC via Telegram​Estreante, esta é a primeira vez que ele

todayoutubro 4, 2022 1


0%