Esses ratos não têm pelos, vivem no subsolo e praticam sequestros

Os ratos-toupeira-pelados são um mistério para cientistas, que aos poucos desvendam os estranhíssimos hábitos de vida deles


  • Hora 7

    |
    Filipe Siqueira, do R7


  • Caro leitor, este é o rato-toupeira-pelado e há tanto para falar sobre ele que é até difícil começar. Ele é um roedor, que vive principalmente no chamado Chifre da África — um belo nome para a região onde fica a Somália, Etiópia, Djibouti e Eritréia. Ele é bem feio, como fica claro pela imagen, e vive escavando o solo. E há algo macabro no comportamento deles: esses roedores sequestram filhotes de outras ninhadas para fins reprodutivos

    Reprodução/Smithsonian’s National Zoo

  • O rato-toupeira-pelado também é conhecido por ser muito resistente ao câncer e por viver incríveis 37 anos, um número anormalmente alto para roedores

    Flickr/Smithsonian National Zoo (Sob Licença Creative Commons)

  • Flickr/Jonh Trainor (Sob Licença Creative Commons)

  • As estranhezas não param por aí, acredite: eles vivem em colônias que lembram as de insetos, com até 300 integrantes. Uma rainha se reproduz com um único macho e todos os outros são impedidos de acasalar pela rainha, seja por meio de feromônios na urina dela ou violência física

    Flickr/Smithsonian National Zoo (Sob Licença Creative Commons)

  • Flickr/Smithsonian National Zoo (Sob Licença Creative Commons)

  • Stan Braude, professor de biologia da Universidade de Washington que estuda a espécie há 40 anos, revelou na pesquisa que as guerras entre colônias não são causadas por recursos e comida. Ele estudou 26 colônias do Parque Nacional de Meru, no Quênia. Em entrevista ao Washington Post, ele revelou que as colônias “se odeiam”, muito provavelmente por diferenças de odores

    Josemarjauregui/Wikimedia Commons

  • Roman Klementschitz/Wikimedia Commons

  • Mas, em vários desses ataques, alguns integrantes da colônia rival são sequestrados. Alguns apanham ou são colocados para trabalhar, mas uma dupla geralmente fica intocada. Esses dois sequestrados são selecionados para se reproduzir na nova colônia, uma vez que a reprodução entre a fêmea e o macho escolhido da colônia não parece ser suficiente para manter o reinado

    Flickr/Josh More (Sob Licença Creative Commons)

  • A suspeita de Braude — atente para o fato de que um especialista com quatro décadas de estudos da espécie ainda está cheio de dúvidas — é que a cada ninhada alguns indivíduos diferentes são gerados, especialmente para serem vítimas do sequestro e poderem se reproduzir em uma outra colônia, Esses tais indivíduos são deixados de lado pela rainha da colônia e são levados em caso de ataque. Caso a colônia não seja atacada, esses animais saem do subterrâneo (um evento raro) e fundam outra colônia

    NÃO VÁ EMBORA: Empresa oferece R$ 33 mil para quem cheirar fezes de cachorro por dois meses

    Raw Pixel

Últimas

abril 10, 2022

Written by:

X