EUA : Audiências sobre ataque ao Capitólio serão pausadas em meio à enxurrada de novas evidências

O comitê do Congresso que investiga o ataque do ano passado ao Capitólio dos Estados Unidos anunciou na quarta-feira (22) que fará uma pausa em suas audiências, depois de receber uma grande quantidade de material em vídeo sobre Donald Trump e sua família de um documentarista.

O presidente do comitê, Bennie Thompson, disse a repórteres que a audiência desta quinta-feira (23), sobre as supostas tentativas de Trump de corromper o Departamento de Justiça, será a última até que seja retomada no “final de julho”.

“O cronograma das audiências é e continua sendo determinado pela investigação. O comitê seleto continua recebendo novas provas relevantes que achamos que serão muito importantes para a investigação”, declarou um assessor do painel.

As novas evidências incluem documentos do Arquivo Nacional e várias novas pistas que chegaram via uma linha de denúncia desde que as audiências televisionadas começaram neste mês de junho.

O material mais valioso seria uma compilação de horas de gravações em vídeo do documentarista Alex Holder, que teve amplo acesso a Trump e seu círculo íntimo, incluindo os filhos e o vice-presidente Mike Pence, a partir de setembro de 2020 e antes e durante os eventos de 6 de janeiro.

Quando os legisladores retornarem de um recesso de duas semanas na segunda semana de julho, eles devem dedicar as audiências restantes à questão da radicalização dos extremistas que invadiram o Capitólio, bem como à cultura da violência política na extrema direita.

Em um sinal da tensão política em torno das audiências, o The New York Times relatou um aumento nas ameaças violentas contra o painel de nove membros.

Alguns que foram assediados incluem Adam Kinzinger, um dos dois republicanos do comitê, cuja esposa recebeu uma ameaça de morte contra ela e sua filha de cinco meses.

Liz Cheney, vice-presidente do painel, teve que suspender grandes eventos públicos em parte devido a preocupações relacionadas à sua segurança.

Esses desdobramentos ocorrem depois que autoridades do Arizona e da Geórgia testemunharam na terça-feira (21) na quarta audiência pública, onde descreveram os esforços de Trump para se agarrar ao poder, o que envolveu intimidação de autoridades locais e funcionários eleitorais. Além disso, eles acusaram o ex-presidente de difamação e de publicar seus dados pessoais.

junho 23, 2022

Written by:

X