Parece que a Microsoft não consegue mais manter os clientes seguros. Há alguns dias, seu programa de edição de textos, o Word, foi reportado ao ser utilizado por hackers em ataques de larga escala. Mas, os problemas da empresa não param por aí e, ao que parece, a falta de transparência da Microsoft está colocando em risco você. 

falta de transparência da Microsoft
Falhas de segurança nos serviços da Microsoft deixam seus clientes expostos (Imagem:  Adi Goldstein on Unsplash)

Problema crítico levou quase 6 meses para ser consertado

Desta vez, a vulnerabilidade saiu do consumidor final e foi para o mercado voltado às empresas, no Azure, um aglomerado de serviços e produtos em nuvem, cuja finalidade é disponibilizar soluções tecnológicas para os seus clientes.

O relato inicial do problema foi registrado pela Orca Security, uma empresa voltada para segurança em nuvem, que em janeiro relatou a falha para a equipe da MSCR (Centro de Respostas de Segurança da Microsoft).

Achar uma vulnerabilidade é algo normal no mundo da tecnologia, mas o que espantou os especialistas foi o tempo que a empresa levou para resolver o problema definitivamente.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

  • Messenger emite alerta sobre fraudes

  • Novo lançamento da Apple promete esconder as fotos do seu iPhone; entenda

Mesmo tendo todos os detalhes enviados pela Orca Security, a Microsoft levou mais de 5 meses, incluindo 3 patches de correções para resolver a vulnerabilidade crítica em sua plataforma. 

Um tempo realmente anormal, principalmente considerando que a equipe da empresa de segurança havia reportado que a vulnerabilidade permitia tomar controle total de contas de clientes.

Equipe da Microsoft trabalhou devagar

Segundo o relato da Orca, feito em seu próprio blog, a equipe responsável por consertar o problema demorou mais de um mês apenas para pedir  informações extras sobre o problema.

O primeiro patch só veio depois de quase 3 meses após o registro inicial da vulnerabilidade. Mesmo assim, a empresa de segurança voltou a relatar o problema no dia 30 de março, confirmando ter conseguido passar por cima do patch.

Depois de mais tentativas, a empresa, dona também do sistema operacional Windows, só veio dar uma solução mais definitiva para o problema no fim de maio.

Pior do que a vulnerabilidade é a falta de transparência da Microsoft

A maior preocupação é a conduta da Microsoft ao lidar com problemas que afetam seus clientes. O gigante Microsoft não só leva um tempo enorme para consertá-los, como não avisa seus usuários, de forma clara, sobre os riscos envolvidos.

A empresa pratica o que é chamado “shadow fix”, quando a medida para corrigir o problema é feita sem alardes, o que não seria ruim, se a situação fosse remediada de forma rápida e eficiente, o que não é o caso.

Um exemplo disso é o Follina, o exploit no Word, mencionado no início deste artigo, que vinha sendo amplamente usada em ataques. 

O problema havia sido reportado para a empresa em 2020, em forma de um artigo acadêmico, mas só a algumas semanas atrás é que a empresa reportou o problema como uma “vulnerabilidade” e alertou os clientes de seu serviço sobre as consequências de alguém usando o exploit.

Mesmo assim, ainda não existe um patch oficial para corrigir o Follina. Uma coisa é certa: cada vez mais vem sendo necessário ter bastante cuidado com os produtos da Microsoft, incluindo seu sistema operacional, que também está sofrendo com problemas do tipo.

Você se sente seguro utilizando os produtos da Microsoft? Compartilhe conosco sua experiência com os serviços da empresa!

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Hugo Cruz

Redator Profissional, Comunicador Social e especialista em Produção de Conteúdo Web.
Formado em Letras – Inglês e Administração. CEO da Agência Digital Comunicalize.