Polícia Civil do Ceará indicia técnico de informática por crimes contra cerca de 3 mil mulheres em todo Brasil

O técnico de informática que extorquia mulheres na internet, ameaçando divulgar fotos íntimas das vítimas, foi indiciado pela Polícia Civil do Ceará. As investigações relacionadas ao inquérito que apura crimes praticados por Matheus Fernandes Alves, de 27 anos, foram encerradas na última segunda-feira (30).

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias

Com a conclusão dos trabalhos investigativos, foram identificadas quase três mil vítimas, todas elas mulheres, prejudicadas pelo técnico de informática. O suspeito, que praticava a ação criminosa de forma virtual, foi indiciado pelos de crimes de extorsão, ameaça, estelionato, pirataria, tentativa de extorsão, tentativa de estupro virtual, estupro virtual consumado e uso de documento alheio.

Leia também | STF reconduz Alexandre de Moraes para mandato no TSE; ministro comandará tribunal nas eleições

Com as investigações desenvolvidas pela Delegacia Regional de Quixadá em conjunto com o 5° Distrito Policial, os investigadores da Polícia Civil puderam concluir que Matheus Fernandes, que até então, não possuía antecedentes criminais, fez cerca de três mil vítimas, todas elas mulheres, espalhadas por vários estados do Brasil. Com base nas oitivas, diligências e com a sua prisão por força de um mandado de prisão, no último dia 8 de abril deste ano, em Fortaleza, foi possível identificar os modus operandi e as dezenas de perfis criados por ele, para extorquir as mulheres.

Como o golpe era aplicado pelo técnico de informática?

O técnico de informática entrava em contato com as vítimas alegando que mantinha fotos delas comprometedoras e as extorquiam exigindo depósitos de uma certa quantia em dinheiro, caso contrário, ele ameaçava de expô-las em redes sociais. Em alguns casos, as mulheres eram obrigadas a enviar fotos íntimas e realizar videochamadas por aplicativos de mensagens.

Durante as investigações, foi constatado ainda que o homem realizava os crimes logado em celulares de clientes, pois como ele trabalhava consertando aparelhos celulares, ele aproveitava e colocava os chips nos aparelhos dos seus clientes, com o objetivo de não ser rastreado, O investigado ainda ficava online em diversos dispositivos gratuitos de internet ou através do sinal residencial de clientes, que ele capturava o acesso no momento em que realizava algum trabalho, assim dificultava a localização exato de onde ele praticava o crime.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube

Foi identificado ainda, que o homem possuía mais de 30 perfis falsos nas redes sociais, que era por onde ele fazia contato com as vítimas e passava a cobrar uma quantia em dinheiro para não divulgar materiais íntimos, fazendo, em alguns casos, com que elas pagassem mensalidades para não ter suas imagens divulgadas. Com isso, após a conclusão do inquérito policial e seu indiciamento, o documento foi enviado ao Poder Judiciário.

Como denunciar?

A Polícia Civil orienta que se você foi vítima de uma extorsão, procure a Delegacia Regional de Quixadá, no endereço Rua Presidente Vargas, Campo Novo, Quixadá – contato (88) 3445-1047. Ou o 5º Distrito Policial na Rua Júlio Braga, 161 – Parangaba, Fortaleza – contato (85) 3101-2948.

junho 1, 2022

Written by:

X