News

Servidor simula sexo oral no dedo de aluno em escola e causa indignação

todayagosto 22, 2022 5

Background
share close

Um servidor simulou sexo oral no dedo de um aluno durante uma palestra com o tema “Saúde da Família”, em uma escola municipal em Ponta Porã (MS), na segunda-feira (15). As imagens circularam nas redes sociais e causaram indignação.

O vídeo mostra o profissional diante de estudantes da Escola Municipal João Carlos, colocando um preservativo no dedo de um aluno. Em seguida, ele leva o dedo do garoto à boca.

O servidor, que foi contratado pela Secretaria de Saúde, foi afastado de maneira preventiva pelo “suposto ato impróprio durante o evento”, informou a Prefeitura de Ponta Porã em nota. 

A nota informa ainda que a Escola João Carlos funciona em regime de cooperação com o Estado e que os alunos do 6º ao 9º ano estavam “sob a orientação educacional e pedagógica da Secretaria Estadual de Educação”. 

Segundo a prefeitura, uma comissão das secretarias municipais de Educação e Saúde avaliará a conduta do servidor “com a adoção das providências cabíveis”.

A prefeitura lamentou o ocorrido e informou que irá averiguar a conduta do profissional. “As Secretarias Municipais de Saúde e de Educação avaliarão em comissão própria o procedimento do profissional, com a adoção das providências cabíveis”, diz a nota.

O problema da sexualização infantil

Nesta quarta (18), a pastora Jackeline Hayashi, líder do Ministério de Crianças da Zion Church e influenciadora sobre educação cristã, fez um alerta sobre o caso no Instagram com a pergunta: Por que a turma canhota (uma alusão à esquerda) quer sexualizar as crianças?

Ela então pontuou algumas respostas:

“1. Porque eles acreditam que a conduta de pureza é algo construído pelo conservadorismo cristão. 

2. Porque eles acreditam que a liberdade sexual faz parte da resposta para uma sociedade livre.

3. Porque eles acreditam que a família conservadora é elitizada, então precisa destruir essa referência de família. (Artigo 2 do manifesto comunista fala sobre isso).

4. Porque eles acreditam que valores judaico-cristãos são opressores, por isso seguem na contra-mão desses valores.

5. Eles acreditam que o ser humano nasce livre e é preso por ferros na sociedade. E entre esses ferros está o cristianismo (Jean Jacques Rousseau, o pai de toda filosofia humanista, no seu livro contrato social).”

Por fim, a pastora advertiu aqueles que simpatizam com as ideologias progressistas. “Não se deixem enganar”, disse. “Tenha cuidado, estude e ensine aos seus filhos além do que está sendo ensinado nas escolas e faculdades”. 

Written by: admin

Rate it

Previous post


0%