News

Urna eletrônica é confiável? | NSC Total

todaysetembro 1, 2022 2

Background
share close

As eleições estão se aproximando e o atual pleito deve ser um dos mais disputados da história do Brasil, principalmente se for considerado o cenário nacional. O primeiro turno das eleições vai ocorrer em 2 de outubro e o segundo turno, caso necessário, está previsto para acontecer no dia 30 do mesmo mês.

Receba notícias do DC via Telegram

Apesar da credibilidade do processo eleitoral brasileiro, algumas pessoas estão com dúvida se a urna eletrônica é confiável. No entanto, há uma série de procedimentos que garantem a segurança da urna eletrônica nas eleições brasileiras.

Nesse contexto, é fundamental entender o funcionamento da urna eletrônica e os procedimentos utilizados com o objetivo de garantir a segurança das eleições.

Como funciona a urna eletrônica?

A urna eletrônica faz o registro dos votos de maneira informatizada, aliados aos equipamentos mecânicos que são ativados pelo eleitor por meio dos botões. Na sequência, a urna processa os dados por meio de um programa computacional que fazendo o registro aos datacenters do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Na sequência, os dados que chegam aos próprios servidores do TRE passam por um conjunto de certificações de segurança antes de serem finalizados.

Um dos procedimentos corriqueiros nesse contexto é a assinatura digital. Por meio dela torna-se possível certificar que as informações foram geradas corretamente. Depois de fazer a somatória de todos os boletins de urnas, os TREs fazem a totalização dos votos e, posteriormente, encarregam em divulgar os resultados.

Acesse o Guia das Eleições 2022 do NSC Total 

Onde a urna eletrônica foi criada?

A urna eletrônica foi criada no Brasil e começou a ser utilizada nas votações durante as eleições de 1996. Posteriormente, 4 anos depois, a urna passou a ser utilizada para a contabilidade dos votos em todo o país.

Qual a importância do uso dela?

A urna eletrônica facilita os processos relacionados à votação. Isso porque, não é necessário preencher um amplo conjunto de papéis para votar em um candidato específico.

Com essa nova tecnologia, todo o processo de votação fica facilitado, pois só é necessário digitar o número para voltar no seu candidato predileto.

Sobre esse tema é importante destacar que a urna eletrônica contribuiu para reduzir o número de votos inválidos nas eleições em 82%. Quando a votação era feita em cédulas de papel, pequenos erros ou rasuras impediam a contagem de um voto como válido. Isso era mais comum em pessoas com baixa escolaridade ou analfabetas.

Pode-se dizer, portanto, que a urna eletrônica contribuiu para ampliar a participação popular e facilitou o processo de votação para milhões de brasileiros em diferentes regiões do país.

Quais países usam a urna?

As urnas eletrônicas são utilizadas em vários países e em diferentes regiões pelo mundo. De acordo com o Instituto para Democracia e Assistência Eleitoral Internacional (Idea), 46 países utilizam o voto eletrônico. Além disso, outras 18 nações adotam essa metodologia em pleitos regionais, como são os casos da Suíça, Japão, Austrália e Estados Unidos.

Reino Unido e França estão estudando a possibilidade de implementar a urna eletrônica para a realização das eleições. Essa tecnologia, portanto, tende a ser implementada em cada vez mais países.

Saiba tudo sobre as Eleições 2022 no vídeo

Por que a urna eletrônica é segura?

A Justiça Eleitoral utiliza um amplo conjunto de procedimentos para otimizar a segurança das informações das urnas eletrônicas. Os processos visam otimizar a integridade, a confidencialidade ou sigilo e a autenticidade dos dados.

Vale ressaltar que todos esses mecanismos foram colocados à prova nos Testes Públicos de Segurança feitos em 2009 e 2012. Em ambas as ocasiões não houve nenhuma tentativa bem sucedida adulteração dos resultados da votação, demonstrando a segurança das urnas.

É importante lembrar os candidatos e partidos podem verificar os resultados. Além disso, o Ministério Público, o próprio eleitor e a Ordem dos Advogados do Brasil também podem fazer esse trabalho.

Uma forma na qual as pessoas podem verificar os resultados é o boletim de urna. Isso porque, após o fim da votação, todos os cidadãos têm acesso ao boletim com a apuração de votos de cada seção. Os resultados podem ser verificados no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). As pessoas podem conferir o resultado de cada seção eleitoral e também do número total de votos.

Por fim, mas não menos relevante, as urnas eletrônicas contam com assinatura digital e são criptografadas, contribuindo para otimizar a segurança dos dados presentes na ferramenta tecnológica.

Como funcionam os testes da urna antes das eleições?

Um dia antes das eleições é feita a Cerimônia de Votação Paralela. Nessa data, há o sorteio das urnas que vão ser verificadas. No dia do pleito, também em cerimônia pública, as urnas são submetidas ao mesmo teste, mas com o registro dos votos.

Como é possível perceber, a urna eletrônica possui uma série de elementos que asseguram a segurança do pleito eleitoral. Isso contribui para assegurar a credibilidade desse importante instrumento da cidadania brasileira. Desse modo, podemos dizer que a urna eletrônica é confiável e que ela tem uma série de elementos que asseguram a credibilidade dos pleitos, incluindo as eleições 2022.

Leia também

Horário eleitoral em SC: veja estratégias de candidatos para buscar votos

Empresário de SC está entre maiores doadores de campanhas no país

Written by: admin

Rate it

Previous post


0%